2.02.2007

T-shirt


“A t-shirt entra no séc. XXI como uma peça de vestuário das mais carismáticas e procuradas por um número cada vez maior de pessoas – Poucos são aqueles que não possuem uma t-shirt no seu guarda-roupa.

Mas nem sempre foi assim! Tudo começou no séc. XIX quando as primeiras camisolas de manga curta foram incluídas no catálogo da Hanes. Eram em malha e vendidas a cêntimos. A idéia era que funcionassem como peça de roupa interior, que fossem fáceis de vestir e quentes.

No decorrer da 1ª Guerra Mundial, os soldados americanos reparam que os europeus usavam a mesma peça de roupa, mas em algodão. O algodão absorvia muito melhor a transpiração e provocava uma sensação mais agradável em contacto direto com o corpo. Resolveram levar exemplares para a América, onde depressa se intensificou o seu uso, e se popularizou a designação de t-shirt, justamente como associação ao formato em T.

Na década de cinqüenta, a explosão do fenômeno da televisão elevou a t-shirt para um patamar impensável, na altura. Atores como John Wayne, James Dean (“Rebelde sem causa”) e Marlon Brando (“Um elétrico chamado desejo”) apareceram a usar t-shirts como peça única independente. Inicialmente alguns ficaram chocados, mas estavam lançados os dados para a imortalização e massificação da t-shirt.

Na década de sessenta, evoluíram as técnicas de impressão e decoração de t-shirts. O movimento hippie e a fase psicodélica originaram vários tipos de tingimentos e acabamentos. A t-shirt era, agora, uma extensão de cada pessoa, como uma tela pessoal, permitindo que a criatividade e liberdade de expressão individual se afirmassem ao gosto de cada um.

A revolução sexual da década de 70 associou o romantismo, as cores fortes o rock ´n´ roll, e novamente o espírito de rebeldia e liberdade.

Os anos oitenta e noventa popularizaram ainda mais as t-shirts. A globalização e os novos mercados baixaram os preços das t-shirts. Todo o tipo de marcas, clubes de futebol, bandas de música, partidos políticos, locais turísticos e um sem número de outras situações de merchandising encontraram nas t-shirts um aliado de peso.”

*foto retirada do estadão.com.br onde Leandra Leal e Caco Ciocler participam da campanha contra o cancer de mama cuja t-shirt foi assinada por Ronaldo Fraga

UMA PEQUENA CORREÇÃO.
O TEXTO QUE VOCÊ LEU SOBRE A HISTÓRIA DA T-SHIRT FOI RETIRADA DO SITE MANGA CURTA
obrigada francisco eu tinha me esquecido, mas pronto ta aí.

por jaQ.

2 comentários:

Leen Marcon disse...

Oi, achei muito legal sua iniciativa de apresentar o pessoal de Curitiba, pq se a gente não se ajudar...A moda aqui ainda deixa muito a desejar, mas acho que aos poucos conseguiremos um espaço. Acessa também o meu blog de ilustrações.
Beijos e boa sorte

Francisco Ponciano disse...

Muito legal seu texto! Tem um livro bem interessante que conta a História da Camiseta da Cia Hering! Totalmente ilustrado, é legal para quem curte esta peça do vestuário super prática e versátil!!!!! Há, é interessante vc mencionar a fonte de onde tirou o texto!!