3.19.2009

Entrevista - Katia Kuczynski

Ela é modelo desde os 14 anos de idade, quando foi descoberta numa situação engraçada no centro de Curitiba. Diz que seu sonho nunca foi ser modelo e agora aos 23 anos continua inteirassa fazendo caras e bocas por aí.


Rêve de Mode - Porque modelo? Como tudo isso começou?

Kátia - Aos meus 14 anos fui descoberta, numa situação engraçada em pleno centro de Curitiba. Nunca tive sonho de ser modelo, nem passava pela minha cabeça. Quem me descobriu foi o produtor Victor Salvaro, que me levou para a Staff Models, onde trabalhava na época.
Tive que aprender tudo, desde passar rímel, batom até a me vestir, eu era uma "jacu do mato" [rs].
Em 2001 viajei para o Japão onde fiquei pouco mais de 4 meses, um detalhe importante, minha mãe foi junto comigo e isso foi super importante.
Em 2003 me afastei da profissão durante dois anos - pois não estava conseguindo conciliar com os meus estudos-, foi então que uma estilista do Rio de Janeiro me incentivou a voltar, voltei. Hoje estou com 23 anos, faço aniversário semana que vem, socorro. [rs]


Rêve - E quais foram os trabalhos que te marcou mais?

Kátia - Hum ... Marie Claire ( Japão ), a campanha da TIM, todos os comerciais de tv. Ahh, o desfile da Croqui que foi o primeiro desfile que fiz a abertura, a primeira vez agente nunca esquece [rs]
E hoje não faço mais parte do casting da STAFF, só estou na MN MANAGEMENT.

Rêve - E quais sãos seus planos futuros?

Kátia - Estou indo viajar semana que vem para um trabalho no Rio Grande do Sul, tenho alguns trabalhos em vista por aí depois. Também tenho alguns trabalhos já encaminhados na Europa para abril desse ano até ano que vem.
Quero conquistar novos mercados e espaços sempre procurando novos desafios, procurando fazer certo o que fiz errado no passado.
E ainda quero casar, me formar em medicina, ter 5 filhos e escrever um livro.

Rêve - Kátia eu te desejo toda a sorte do mundo viu, que você consiga fazer tudo aquilo que deseja :)

por Jaqueline Carvalho

Um comentário:

Jarbas disse...

ela é linda!
... e para dizer o minimo, entrevista interessante.